Doença celíaca: Como reconhecer os sintomas e fazer o diagnóstico?

 

Estima-se que um a cada 200 brasileiros é intolerante ao glúten, o que provoca uma série de reações e sintomas – os mais comuns ligados ao trato digestivo e intestinal. A doença celíaca é uma reação do sistema imunológico à proteína do glúten, a qual causa inflamações no intestino, levando, em alguns casos, a quadros graves de desnutrição e anemia.

 

A intolerância às proteínas do glúten – gliadina e glutenina, presentes no trigo; secalina, encontrada na cevada; hordeína, proveniente do centeio e avenina, na aveia – afeta as microvilosidades do intestino (responsáveis pela absorção dos nutrientes) que, com o passar do tempo, perdem a capacidade de assimilar as substâncias presentes nos alimentos. A partir daí, os nutrientes passam a se depositar na parede intestinal, e o sistema imunológico entende que essas partículas são agentes que precisam ser combatidos, o que gera inflamações graves.

 

Sintomas

 

Os sintomas mais comuns que os celíacos apresentam são:

 

  • Diarreias crônicas;
  • Vômitos;
  • Anemia resistente à medicação;
  • Dores abdominais;
  • Desnutrição;
  • Intolerância à lactose;
  • Falta de apetite;
  • Distensão abdominal;
  • Perda de peso;
  • Prisão de ventre;
  • Ânsias de vômito;
  • Fezes com sangue;
  • Cólicas;
  • Azia;
  • Dispepsia (indigestão);
  • Anemia;
  • Dermatite
  • Osteoporose

 

 

 

Diagnóstico

 

A doença celíaca é genética, por isso afeta apenas quem tem os genes HLA-DQ2 e HLA-DQ8. A simples presença destes, no entanto, não determina que uma pessoa desenvolva a patologia. Seu diagnóstico é feito por meio de exames de sangue, os quais apontam o anticorpo antitransglutaminase tecidular (AAT) e o anticorpo antiendomísio (AAE). Em alguns casos, é necessário realizar uma biópsia do tecido intestinal. Os exames de fezes e urina também podem auxiliar no diagnóstico, porque apontam a presença de gordura, o que indica má absorção dos nutrientes.